Trabalhadores realizam manifestação pela reabertura do frigorífico de Batayporã

Trabalhadores realizam manifestação pela reabertura do frigorífico de Batayporã IMAGE

Fotos: José Almir Portela/Nova News

Cb image default

Na tarde deste sábado (03), em Batayporã, um grupo de pessoas, entre elas, ex-funcionários do Frigorífico Minerva, empresários, comerciantes, representantes de entidades sindicais e membros da população em geral realizaram uma manifestação pela reativação da planta frigorífica, que deixou de produzir e gerar empregos desde julho de 2015.

Os manifestantes se concentraram na Avenida Brasil, região central da cidade, de onde seguiram em passeata até a frente da planta frigorífica, localizada na MS-134, saída para Nova Andradina, onde ocorreu uma concentração.

Com cartazes, faixas e gritando palavras de ordem, os manifestantes exigiam uma solução definitiva para que a unidade volte a operar. “Seja sob a marca da Minerva ou de outra firma, o que queremos é que o frigorífico gere empregos em nossa cidade”, disse um manifestante.

Cb image default

Segundo algumas pessoas ouvidas pelo Nova News, o movimento foi organizado pela própria população e teve apoio de vários sindicatos e associações.

“Nossa intenção é chamar a atenção da sociedade para esta situação. A Minerva Foods está pagando aluguel da planta frigorífica sem gerar empregos enquanto a população e o comércio vive em crise. Se a Minerva que reativar a unidade que faça isso logo, e se não quer, que abra espaço para outra empresa que queira”, disse um popular.

Um comerciante entrevistado pelo site disse que desde que o Frigorífico Minerva deixou de produzir, e economia da cidade não é mais a mesma.

“Aquela unidade gerava mais de 700 empregos e isso injetava recursos no comércio da região. Com as demissões, percebemos queda nas vendas e até mesmo aumento na inadimplência, uma vez que muitas pessoas ainda não conseguiram se recolocar no mercado de trabalho. Batayporã está em crise e precisamos que aquela indústria volte a operar a todo vapor”, disse o empresário.

"É claro que não somos donos da razão, mas um ato dessa magnitude, que gera tantos empregos diretos ou indiretos, contar com cinqüenta pessoas, chega a ser motivo de chacota. Será que está todo mundo empregado? A sociedade precisa se conscientizar disso. Só vamos conseguir alguma coisa se estivermos organizados e unidos. Estamos vendo os empresários e patrões passarem por cima de nós com rolo compressor. Mas o sindicato permanece na luta como sempre esteve," disse Almir Roberto, representante do Sindicon (Sindicato dos condutores de veículos em transportes rodoviários de Nova Andradina e região).

Por volta das 16h15, o número de manifestantes cresceu significativamente, chegando em torno de 200 pessoas, ganhando a adesão de empresários e comerciantes.

Um grupo da Polícia Militar de Batayporã acompanhou os manifestantes, até o frigorífico, onde no final do manifesto, realizaram uma oração.

Outras mobilizações

Desde novembro de 2018, lideranças locais e regionais iniciaram uma mobilização pela reativação do frigorífico de Batayporã. Nos últimos meses ocorreram diversas reuniões, uma audiência pública, aprovação de lei e demais movimentos relativos ao tema.

Representantes do Setor de Indústrias e Comércios de Batayporã, Associação Empresarial de Batayporã, Sindicato Rural de Batayporã e do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Nova Andradina e Região estão empreendendo esforços no sentido de fazer com que a planta frigorífica volte a operar, seja sob a bandeira da Minerva Foods, que continua como locatária do imóvel, porém, sem produzir, ou de outro grupo interessado.

Toda esta mobilização levou a Câmara Municipal a aprovar a indicação 085/2018, sobre a revogação da lei 259/93, de 20 de outubro de 1993, que trata da doação área da planta frigorífica do município a um grupo de empresários da região. A lei foi sancionada pelo Poder Executivo. Segundo as lideranças envolvidas na causa, não haverá descanso enquanto a questão do frigorífico não for resolvida.

Em fevereiro deste ano ocorreu, na sede da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), em Campo Grande, um encontro que reuniu três diretores da Minerva Foods; o titular da secretaria, Jaime Verruck; o responsável pela planta frigorífica de Batayporã, Ademar Capuci e uma comitiva de Batayporã, formada pelo prefeito Jorge Takahashi; pelo diretor do Setor de Indústrias e Comércios, Miguel Monteiro; e pelos vereadores Cacildo Paião, Maurício Ribeiro e Danilo Enz.

A ocasião serviu para debater a possibilidade de a Minerva Foods voltar a operar em Batayporã. Conforme apurado pelo Nova News, na reunião, os diretores da Minerva disseram ter interesse em reativar a unidade, porém, para que isso ocorra, será necessária a reconstrução da parte destruída por um incêndio ocorrido também em 2015, cerca de um mês após o anúncio do fechamento.

Ainda nas palavras dos representantes da empresa, também seriam necessárias reformas e adaptações na planta frigorífica, para que a indústria esteja apta a cumprir as exigências do mercado de exportação de carne.

Caso haja um consenso entre a empresa e o Governo, é possível que o frigorífico volte a operar após as devidas reformas e adaptações, sendo que, a mobilização realizada neste sábado (03) teve como objetivo cobrar mais agilidade na tramitação das negociações. (Colaboraram Acácio Gomes e José Almir Portela).

Banner Lateral (1)
ouça online
Banner Lateral (2)