Segunda parcela do 13º será paga a partir de hoje; veja como investir o dinheiro

Segunda parcela do 13º será paga a partir de hoje; veja como investir o dinheiro IMAGE
FÁBIO ORUÊ

O Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) deposita nesta segunda feira (25), a segunda parcela do 13º salário, juntamente com a competência 11/2019, no período de 25 de novembro a 6 de dezembro, conforme calendário de pagamento de benefícios (confira abaixo).

A segunda parcela do 13º salário é paga a todos os beneficiários da Previdência Social, sejam estes aposentados, pensionistas, titulares de auxílio-doença, de auxílio-reclusão, entre outros. 

Porém, por lei, não têm direito ao 13º salário os seguintes benefícios: amparo previdenciário do trabalhador rural, renda mensal vitalícia, auxílio-suplementar por acidente de trabalho, pensão mensal vitalícia, abono de permanência em serviço, vantagem do servidor aposentado pela autarquia empregadora, salário-família e amparo assistencial ao idoso e ao deficiente.

Quem quiser consultar o valor a receber, o contracheque já está disponível no ‘Meu INSS’, no Extrato de Pagamento de Benefício. Aposentados e pensionistas, em sua maioria, recebem 50% do valor do benefício antecipados em setembro e a segunda parte em dezembro. A parcela corresponde à metade do valor correspondente ao salário de benefício.

COMO USAR O DINHEIRO?

O gestor de finanças Daniel Cavagnari recomenda prudência com ofertas feitas por bancos e outras instituições financeiras nos meses que antecedem o depósito do salário. “Muitas entidades oferecem empréstimos para que os trabalhadores recebam esses valores adiantados. Porém, cobram juros incompatíveis com termos justos. É preciso estar atento”, diz.

Para aqueles que têm dívidas a juros altos ou vencidas, o professor recomenda que o 13º seja usado para quitá-las. “Negocie o pagamento com as instituições credoras e busque descontos. Lembre-se de que taxas ou juros que ainda não foram cobradas não podem incidir no adiantamento das dívidas”, explica.

Já para os trabalhadores que estão em dia com suas finanças, Cavagnari recomenda reservar metade do valor recebido – ou mais – para as despesas de início de ano, como Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), uniformes, material escolar e férias. O restante do valor pode ser usado para presentes e outros gastos com as comemorações de fim de ano.

“Também é possível usar o benefício para ‘resolver a vida’, ou seja, revisar o carro, arrumar a casa, passear com a família. O bem-estar é o que temos de mais importante. Qualquer investimento neste âmbito será bem aproveitado”, defende.

*Com informações da assessoria 

Banner Lateral (1)
ouça online
Banner Lateral (2)