São Paulo cede 15% dos direitos econômicos a Antony como contrapartida em renovação

São Paulo cede 15% dos direitos econômicos a Antony como contrapartida em renovação IMAGE

Antony passará a ter 15% dos direitos econômicos do seu contrato com o São Paulo a partir de janeiro. O repasse é uma contrapartida do clube ao jogador pela assinatura da recente renovação do vínculo.

Em julho deste ano, o atacante e o Tricolor prorrogaram o acordo até junho de 2024. A partir do ano que vem, portanto, o São Paulo, que antes tinha 100% dos direitos, terá 85%.

Na janela de transferências, no meio do ano, o São Paulo disse ter recusado oferta de 20 milhões de euros pelo jogador. A oferta do Manchester City incluía uma ida ao Sporting, de Portugal.

Tanto o Tricolor quanto Antony decidiram pela permanência. Em caso de transferência, o atacante receberia mais dinheiro. Por isso, o São Paulo propôs ceder uma fatia dos direitos para amenizar.

No meio do ano, a postura do São Paulo, liderado pelo presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, foi de não vender os principais destaques de Cotia, a não ser pelo pagamento da multa. A cláusula de rescisão de Antony é de 50 milhões de euros (cerca de R$ 225 milhões).

Mas o clube planeja vender jogadores para equilibrar as contas, segundo o relatório da diretoria distribuído aos conselheiros. O GloboEsporte.com teve acesso ao documento.

Isso porque o São Paulo registrou déficit de R$ 76,5 milhões de janeiro a agosto. A venda de Morato ao Benfica, definida no começo de setembro, não é incluída no acumulado até agosto.

Agora, Liziero (observado pelo Barcelona), Igor Gomes e o próprio Antony são alguns dos garotos de Cotia mais valorizados.

Banner Lateral (1)
ouça online
Banner Lateral (2)