Preço do arroba bovina sobe 12,1% no Estado com maior demanda chinesa

Preço do arroba bovina sobe 12,1% no Estado com maior demanda chinesa IMAGE
Cotao da arroba deve se manter em elevao at final do ano  Cotação da arroba deve se manter em elevação até final do ano

O preço da arroba do boi gordo subiu 12,12% em Mato Grosso do Sul em pouco mais de uma semana acompanhando a tendência de alta verificada nos últimos dias em todo o País. Hoje a arroba do boi está cotada em média a R$ 185 (à vista), enquanto a da vaca ficou em R$ 173,50 em média segundo dados do Sistema Famasul. No dia 10 de novembro, por exemplo, o valor estava cotado em média a R$ 165.

De acordo com a analista técnica da Famasul Eliamar Oliveira, o aumento nos preços é reflexo e oferta enxuta e consumo aquecido. "Nesse período do ano cresce a demanda interna e simultaneamente as exportações estão em alta. De janeiro a outubro o Mato Grosso do Sul faturou mais de US$ 551 milhões com as vendas de carne in natura para o exterior", acrescentou. 

O presidente do Sindicato Rural de Campo Grande, Rochedo e Corguinho (SRCG), Alessandro Coelho, concorda quanto ao otimismo, mas recomenda cautela. “Vivemos um momento de euforia com o mercado, porém a realidade não é bem essa que parece. Trata-se de uma recuperação de mercado, que passou por quatro anos em recessão, sendo seu último pico em 2015, quando se esperava R$ 170 na arroba, o que não se aplicou”.

Segundo ele, quando o Brasil entrou em recessão, a arroba entrou junto. “Além disso a pecuária tem sofrido muito devido à redução de matrizes; a agricultura avançou e a pecuária acabou ficando mais restrita. 

A pecuária vai ter que ser eficiente, uma vez que os custos subiram e os valores ainda estão muito aquém de uma margem razoável de lucro, a vida do pecuarista continua difícil”, completou o presidente do SRCG ao lembrar que o mercado da carne bovina é indissociável do milho, principal matéria-prima para o acabamento do gado.

Novos mercados

A abertura de novos mercados e a habilitação de plantas frigoríficas menores também sustenta este cenário mais positivo. “A nossa Ministra Tereza Cristina, quando veio aqui e oficializou a habilitação de algumas plantas frigoríficas de pequeno porte, para exportar para a China, fez com que esses frigoríficos puxassem a fila nos preços da arroba nesses últimos meses”, pontua Coelho.

Então não é só a oferta restrita de boiada que mantém o mercado do boi em alta, segundo o sindicato. Mesmo com a baixa disponibilidade de animais terminados à pasto e a insuficiência do rebanho confinado, ações políticas, que impulsionam os pequenos frigoríficos também contribuem para sustentar os preços.

Com relação ao mercado futuro a analista da Famasul, Eliamar Oliveira também reforça o cenário positivo para a pecuária no ano de 2020. "A economia brasileira se recupera gradativamente e o mercado externo está pujante inclusive com a ampliação de vendas para os países da Ásia, em especial a China e também para países do Oriente Médio como por exemplo a Arábia Saudita", finaliza ela.

A valorização da arroba nos últimos anos foi intensificada nos últimos meses e, a expectativa para 2020 é ainda melhor. Em entrevista ao Notícias Agrícolas, o analista da Cross Investimentos, chega a citar uma arroba de R$ 200, para o primeiro trimestre do ano que vem.

“Tem um mercado muito promissor e temos esse boi com padrão exportações que começou a puxar essa alta, mas a oferta desse animal vai ficar cada vez mais difícil até meados de março”, relatou o analista. 

E ao mesmo tempo que o mercado é otimista, ele pede cautela. “Não adianta pecuária olhar os preços futuros e fazer prognóstico de alta com os valores, mas o produtor precisa saber utilizar as ferramentas disponíveis no mercado para fazer trava de preços”, aponta.

Banner Lateral (1)
ouça online
Banner Lateral (2)