Entusiasta do cota zero, Zezé diz que não deixa amigos levarem peixe para casa

Entusiasta do cota zero, Zezé diz que não deixa amigos levarem peixe para casa IMAGE
DAIANY ALBUQUERQUE

O cantor Zezé di Camargo esteve nesta quarta-feira (16) em Campo Grande para o lançamento do Festival América do Sul, que acontece de 14 a 17 de novembro deste ano em Corumbá – a 417 km de Campo Grande. Em seu discurso o artista defendeu o Cota Zero, programa do Governo do Estado que estimula o pesque e solte, e afirmou que já há muito tempo impede que seus amigos levem os peixes que eles pescam para casa, como forma de incentivar a reprodução dos animais.

“Eu falava: ninguém vai levar peixe para o barco, porque eu já encomendava tudo, carne e peixa a vontade. Que seja liberado, independente de tamanho, eu não concordava muito de pegar só o grande e soltar o pequeno. O grande é o reprodutor, o grande está repovoando o rio, o pequeno, em cada 10 só um chega a idade adulta e vira reprodutor. Então a gente está acabando com a reprodução”, afirmou o cantor.

Zezé conta que chegou a enviar uma mensagem ao governador Reinaldo Azambuja (PSDB), para expor suas ideias. Os dois chegaram a se encontrar em São Paulo, na casa do artista, quando o chefe do Executivo estadual estava na capital paulista.

“Aí veio na minha cabeça umas ideias que passei lá atrás e agora passei novamente para o governador e ele me disse que já está acontecendo isso, que é a Cota Zero, que é muito importante. Ninguém precisa levar peixe para casa”, avaliou.

O cantor contou que esteve na região do Pantanal pela primeira vez há mais de 18 anos e decidiu conhecê-lo por inteiro. Foi de Corumbá até Cáceres (MT) em uma chalana e demorou sete dias na viagem. “Queria conhecer o Rio Paraguai e todos os outros que margeiam a região e fiquei emocionado com a diversidade que encontrei”, lembrou.

A dupla Zezé di Camargo e Luciano fará a abertura do Festival América do Sul deste ano. Além dos sertanejos, também haverá a apresentação do cantor Diogo Nogueira, da banda Paralamas do Sucesso e da cantora Lucy Alves. Também haverá atrações regionais e internacionais, mas elas ainda não estão definidas.

COTA ZERO

O decreto do cota zero entra em vigor nos rios de Mato Grosso do Sul a partir de janeiro de 2020 e objetiva recuperar o estoque pesqueiro e fomentar a pesca esportiva e amadora.

Os pescadores amadores poderão pescar e transportar cinco quilos de pescado, um exemplar de qualquer espécie e cinco exemplares de piranha, além de que 21 espécies diversas, entre elas, jaú, pintado, pacu, corvina e piau, foram listadas com tamanhos mínimos para captura no sistema pesque e solte.

Segundo cartilha divulgada pela Polícia Militar Ambiental (PMA), as áreas onde a pesca na modalidade pesque e solte é permitida são no Rio Negro, no trecho da confluência com o Córrego Lajeado – próximo à cidade de Rio Negro –, até o brejo existente no limite oeste da Fazenda Fazendinha, no município de Aquidauana; no Rio Perdido, em toda sua extensão, compreendendo Bonito, Jardim, Caracol e Porto Murtinho; no Rio Abobral, em toda a sua extensão, em Aquidauana e Corumbá; e no Rio Vermelho, em Corumbá.

O pescador que usar petrechos ou métodos não permitidos, não estar portando a autorização ambiental emitida pelo Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul), carregar pescado em quantidade superior à permitida, pescar em locais e épocas com restrições, ser flagrado com pescado considerado especial ou em extinção ou não seguir o tamanho mínimo ou máximo por espécie pode ser autuado com uma infração administrativa no valor entre R$ 700 e R$ 100 mil, mais R$ 20 por quilo do pescado irregular e terá todos os produtos da pesca apreendidos.

O QUE MUDA A PARTIR DE 2020:

* Pesca amadora ou desportiva será somente no sistema pesque e solte;

* Cota Zero para transporte, ficando somente autorizado o consumo no local da captura, dentro do limite do tamanho do exemplar;

* Pesca amadora não poderá ser na modalidade subaquática;

* Pescadores amadores e profissionais devem ter cadastro no Imasul e sempre portar o documento de autorização ambiental;

* Cota mensal para pescador profissional é de 400 quilos de pescado;

* O peixe deve ser mantido inteiro, para fins de fiscalização;

* Pescador amador que for condenado pode ter a autorização cancelada ou suspensa.

Banner Lateral (1)
ouça online
Banner Lateral (2)