Dourados: Família 'parabeniza' hospital por deixar paciente esperando cirurgia há 2 meses

Dourados: Família 'parabeniza' hospital por deixar paciente esperando cirurgia há 2 meses IMAGE


Com o bolo em mãos, paciente e família protestando contra o descaso da administração da unidade hospitalar. (Foto: Dourados News)

Bolo, vela e até parabéns. O contexto até parece o de uma comemoração, mas deu lugar a revolta da família de uma idosa, de 65 anos, que há dois meses está internada no Hospital da Vida de Dourados à espera de uma cirurgia que até a justiça concedeu, mas os médicos não executam.

Nesta quarta-feira (24) em frente a unidade até Florentina Freitas, a paciente, participou do protesto simbólico, diante do descaso da administração do hospital. A idosa deu entrada na unidade por encaminhamento da UPA (Unidade de Pronto Atendimento) local, com um quadro de icterícia obstrutiva.

Devido ao problema, Florentina precisa realizar um procedimento chamado CPRE, que não é feito pelo SUS (Sistema Único de Saúde). Mas no mês passado a família procurou a defensoria pública onde foi decretado que o procedimento, que custa cerca de R$ 9, 8 mil teria que ser feito na rede particular.

Segundo a auxiliar de laboratório e filha da paciente, Gislene Maria de Freitas os órgãos públicos da cidade entraram com recurso para que o procedimento não fosse feito, mas ontem (23) foi decidido novamente sobre a realização da cirurgia.

“É esse descaso que me revolta, isso que moveu minha família pra comprar o bolo e vir aqui na frente do hospital pra cantar parabéns às autoridades que estão deixando minha mãe 'presa' aqui há 2 meses', relata Gislene.  Emocionada, Florentina diz não aguenta mais ficar internada e teme o risco de infecção.

“Eu não sei o que vai acontecer a partir de hoje, o médico não pode me dar alta sem esse procedimento. Eu não aguento mais ficar aqui, estou agoniada, correndo risco de pegar uma infecção eu não tenho mais condições', contou a idosa.

5 dias ? Em resposta ao Dourados News a secretária de saúde de Dourados, Berenice Machado de Souza, disse ter ficado sabendo do caso nesta terça-feira (23) pela própria idosa. Berenice afirmou que já foram feitos orçamentos e a secretaria está contratando o serviço. “Acredito que em cinco dias úteis o procedimento deve ser realizado', ressaltou a secretária.

Crise - Devido a uma crise  financeira que atinge a Funsaud (Fundação de Serviços de Saúde de Dourados), órgão da prefeitura que administra o hospital e a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) todos os médicos da unidade estão sem receber pelo salário de junho.  Oito profissionais já entregaram a carta de demissão e outros pretendem seguir o mesmo caminho. 

Banner Lateral (1)
ouça online
Banner Lateral (2)