Denunciado por compra de votos é eleito prefeito de Miranda

Denunciado por compra de votos é eleito prefeito de Miranda IMAGE

Com 62,4%, o atual prefeito interino da cidade e presidente da Câmara Municipal de Miranda, que foi denunciado por compra de votos, Edson Moraes (Patriotas) foi eleito como o novo prefeito de Miranda. Com pouco mais de 18,8 mil eleitores na cidade, Moraes foi eleito com cerca de 7,3 mil votos. 

De acordo com a assessoria de imprensa da Prefeitura Municipal de Miranda, a diferença de 3,7 mil votos deixou Valter Ferreira (DEM) em segundo colocado, com 31% dos votos. A eleição foi realizada a um ano das eleições municipais de 2020, que devem ser realizadas nos municípios de todo o Brasil.

Eleito, Edson disse ao Correio do Estado que a denúncia de compra de votos é mentira e vai se defender na Justiça. "Essa denúncia que teve é montagem do adversário. Aqui em Miranda é assim, muito acirrada e muita rivalidade. Tenho certeza que a Justiça vai apurar os fatos e eu não cometi fato errado. Se deus quiser eu vou vencer", afirmou.

A cidade precisou escolher um novo administrador após a chapa eleita em 2016 ser cassada pelo Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul  (TRE-MS) e a Justiça determinar um novo pleito. 

A então prefeita Marlene de Matos Bossay (MDB), o vice Adailton Rojo Alves (PTB) e seu filho e vereador Ivan Bossay, eleitos em 2016, tiveram seus diplomas cassados por decisão do juiz eleitoral Alexsandro Motta, da 15ª Zona Eleitoral, em razão de prática de captação ilícita de sufrágio e de abuso de poder econômico, mediante compra de votos na Aldeia Lalima, de Miranda.

A determinação de um novo pleito consta da Resolução nº 660, já em vigor, expedida ad referendum do Tribunal Pleno do TRE-MS, pelo desembargador Divoncir Schreiner Maran, presidente em exercício do TRE.

Banner Lateral (1)
ouça online
Banner Lateral (2)