Brasil arranca virada heroica contra o México e é tetracampeão mundial sub-17

Brasil arranca virada heroica contra o México e é tetracampeão mundial sub-17 IMAGE

Gazeta Esportiva 

Lázaro comemora o gol do título mundial sub-17 do Brasil (Foto: Sergio Moraes/Reuters)

O Brasil conquistou o tetracampeonato mundial de futebol sub-17 na noite deste domingo. Jogando no Bezerrão, no Gama, a Seleção Brasileira saiu atrás do México, mas repetiu o que fez durante toda a competição, colocou a alma na ponta de chuteira e foi buscar uma virada eletrizante, com gols de Kaio Jorge e Lázaro nos últimos 10 minutos de jogo. Bryan González fez para os mexicanos.


Desta forma, o Brasil segue como o segundo maior vencedor da competição, agora com quatro títulos – 1997, 1999, 2003, além 2019 –, atrás apenas da Nigéria, dona de cinco taças. 


O México, por sua vez, continua com dois canecos e desperdiça a chance de igualar o time canarinho.


O herói do triunfo brasileiro foi Lázaro. Responsável pelo gol que determinou a vitória sobre a França na semifinal, o jovem do Flamengo voltou a ser o talismã do técnico Guilherme Della Dea, entrou no segundo e, aos 47 minutos da etapa final, marcou o gol do título.


Após um começo tímido, o Brasil engatou uma série de chances com cinco arremates em menos de seis minutos e inflamou a torcida. Entre os mais perigosos, Kaio Jorge fez bela jogada pela esquerda e rolou para Peglow finalizar no travessão, já Gabriel Veron ficou com a sobra e bateu por cima da meta.


Aos poucos, o México colocou a bola no chão, aproveitou o aparente nervosismo dos brasileiros, que se cobravam em campo a todo o momento, e passou a dominar a posse. Mesmo jogando boa parte do tempo no campo de ataque, os mexicanos só chegaram em cobrança de falta de Efraín Álvarez.


Na reta final, os donos da casa estabilizaram o ímpeto ofensivo dos mexicanos e voltaram a oferecer perigo à meta rival, mas Peglow e Patrick pararam em Eduardo García, enquanto Kaio Jorge, duas vezes, e Gabriel Veron exageram no preciosismo para não alterarem o placar antes do intervalo.


México sai na frente, mas Brasil arranca virada heroica


Assim como no primeiro tempo, o Brasil buscou encurralar o adversário no início da etapa final e até conseguiu, mas a falta de pontaria brecou qualquer possibilidade do ataque anfitrião, enfim, colocar a bola nas redes. Peglow e Kaio Jorge, mais uma vez, tiveram as chances em seus pés.


Como diz a máxima ‘quem não faz toma’, o México saiu na frente no único chute certo que efetuou na partida. Pizzuto cruzou da esquerda, González subiu entre dois marcadores na área e cabeceou para o chão, no canto direito do gol de Matheus Donelli, que não conseguiu fazer a defesa.


O Brasil não se abateu com o tento sofrido, foi para o ataque e, nos instantes finais da partida, em meio a um turbilhão de finalizações à meta mexicana, conseguiu um pênalti em cima de Gabriel Veron, assinalado com ajuda do VAR. Kaio Jorge bateu rasteiro, Eduardo García acertou o canto, mas a bola entrou mansamente. 


Empurrado por um Bezerrão pulsante, a Seleção Brasileira repetiu o que fez contra a França, não se deu por satisfeita e arrancou a virada novamente na estrela de Lázaro, já nos acréscimos. O garoto do Flamengo, que entrou no segundo tempo, aproveitou cruzamento de Yan, bateu de primeira para dar ao Brasil o tetracampeonato mundial e garantir a festa canarinha no Gama.

Banner Lateral (1)
ouça online
Banner Lateral (2)